MAXTRAVEL 2020 - FUNDOS 01.png
FERNANDO DE NORONHA - 02.jpg

PONTOS TURÍSTICOS

Fernando de Noronha é dividida em duas costas - o mar de dentro, voltado para o Brasil; e o mar de fora, voltado para a África. As praias de águas mais cristalinas ficam voltadas para o país, entre elas, as mais bonitas da ilha: Sancho, Baía dos Porcos e Cacimba do Padre. É deste lado também que o sol se põe, reunindo turistas e nativos nas praias da Conceição e do Boldró. Independente do lado escolhido, não esqueça da máscara e do snorkel - em qualquer uma das praias, a rica vida marinha é surpreendente.

 

BAÍA DO SANCHO

Com águas cristalinas e bancos de coral, a praia do Sancho é considerada um dos melhores pontos do Brasil para a prática do mergulho livre. O acesso não é fácil, sendo feito a partir do alto de um penhasco com mirante e vista espetacular. Ali tem início os dois lances de escada encravada na rocha, além de uma escadaria em pedra, que leva à areia branquinha. A praia, porém, é uma das poucas onde é permitida a parada de embarcações para banho, sendo uma opção para quem não topar a aventura pelas escadas. Os barcos costumam ficar atracados cerca de 40 minutos para mergulhos

BAÍA DOS PORCOS

O acesso não é dos mais fáceis – só dá para chegar à Baía dos Porcos a pé, vindo da Cacimba do Padre em uma caminhada pela areia, além de uma pequena trilha de pedras. Mas o esforço é recompensado pela pequena praia com faixa de areia estreita e muitas pedras que formam piscinas de águas transparentes. Um paredão rochoso altíssimo e a vista do Morro Dois Irmãos completam o visual de tirar o fôlego.

CACIMBA DO PADRE

Uma das maiores praias da ilha – 900 metros de extensão – a praia da Cacimba do Padre abriga outro cartão-postal de Noronha: o Morro Dois Irmãos. E as belezas não terminam por aí. As águas são verdes transparentes e repletas de vida marinha, a areia é clara e fofa, e a vegetação nativa dos morros avança sobre a praia. No verão, as ondas chegam a cinco metros. Bom local para apreciar o pôr do sol.

BAÍA DE SANTO ANTÔNIO

Ancoradouro natural, a praia da Baía de Santo Antônio abriga uma embarcação grega naufragada na década de 30, atraindo mergulhadores em busca das tartarugas e cardumes enormes. Tem areias brancas e águas claras e calmas.

PRAIA DO LEÃO

É o destaque do chamado mar de fora. Extensa, com águas muito azuis e verdes, a praia é uma das escolhidas pelas tartarugas marinhas para desovar no período de janeiro a junho. Com movimento bastante tranquilo, ganhou o nome em função da enorme formação rochosa dentro do mar que se assemelha vagamente a um leão-marinho deitado. Ao lado fica o Morro da Viuvinha e, nas duas formações, uma infinidade de ninhos faz do local um santuário de aves. Entre os meses de abril e julho acontece a desova das tartarugas - sob supervisão do Projeto Tamar, os turistas acompanham de perto a corrida das tartaruguinhas rumo ao primeiro banho de mar!

PRAIA DA CONCEIÇÃO

Aos pés do Morro do Pico, um dos cartões-postais de Noronha, a praia da Conceição tem fácil acesso e mar calmo, reunindo a turma do frescobol, do vôlei e do slack-line. Um bar estruturado garante os comes e bebes. No verão, porém, ganha boas ondas e os surfistas tomam conta da paisagem. O canto direito abriga o Morro de Fora, com piscinas e peixes. É um dos melhores pontos da ilha para apreciar o pôr do sol.

BAÍA DE SANTO ANTÔNIO

As águas transparentes e a diversidade da fauna marinha fazem de Fernando de Noronha um dos melhores lugares do mundo para mergulhar. No cardápio – que traz alimentos para os olhos e a alma – estão cardumes variados e coloridos, arraias, tubarões, tartarugas, moréias, barracudas, golfinhos, esponjas e corais. A visibilidade chega a 50 metros e a ilha oferece ainda mergulhos noturnos – apenas para credenciados.
 


Para quem não tem prática, as operadoras locais oferecem o batismo, um mergulho de cerca de 15 metros de profundidade orientado por um instrutor e que inclui os equipamentos, como roupa de neoprene, cilindro, colete, máscara e pés-de-pato.

PRINCIPAIS PONTOS DE MERGULHO

Mar de dentro

Naufrágios

A 62 metros de profundidade, na Ponta da Sapata, a corveta Ipiranga é considerada o naufrágio mais conservado do Brasil. Naufragada em 1983, a embarcação está a 20 minutos do porto. Já na baía de Santo Antônio fica o navio grego Eleane Stathatos, a sete metros de profundidade e afundado nos anos 30. Por estar perto da orla, é possível chegar ao local a nado, podendo ser observado também em mergulho livre.

Laje Dois Irmãos
Fica próxima aos rochedos dos Dois Irmãos, em frente à Baía dos Porcos. São várias formações de pedra incrustadas de esponjas onde há grande quantidade de peixes, arraias-manteiga e até tubarões. A profundidade máxima é de 25 metros.

Buraco do Inferno
Nos arredores da Ilha Rata, a gruta submersa tem formações coralíneas e a profundidade é de 18 metros.

Cordilheira
Próxima ao Buraco do Inferno, a Cordilheira é um paredão rochoso de 35 metros, repleto de arraias-chitas e cardumes diversos.

Cabeço da Sapata
O paredão, nos arredores da Ponta da Sapata, chega a 40 metros de profundidade.

 


Mar de Fora

Iuias
A laje próxima à Ponta das Caracas tem 24 metros de profundidade e grandes paredes tomadas por esponjas, formando um corredor com peixes, tartarugas e tubarões.

Pedras Secas
O conjunto de rochas que chegam a 15 metros de profundidade oferece excelente visibilidade, além de formações interessantes como cânions e arcos. A fauna reúne barracudas e tartarugas. As Pedras Secas ficam próximas à Enseada da Caieira.

Ilha do Frade
Em frente à praia do Atalaia, a Ilha do Frade tem profundidade de 20 metros.

Ilha do Meio
Os arredores da Ilha do Meio são repletos de tocas e cavernas, com profundidades máximas de 15 metros.

 

FERNANDO DE NORONHA

O paraíso existe, fica na Terra e tem nome e sobrenome: Fernando de Noronha. Com areias douradas, mar em tons de azul turquesa e verde esmeralda, corais, vida marinha esplendorosa, mata, formações rochosas... o arquipélago só pode ser uma filial do Éden a 545 quilômetros do Recife.

A ilha é pequena, tem apenas 17 quilômetros quadrados e a menor BR do país - a 363, com seis quilômetros de extensão – o que facilita desbravar o território. Com as praias divididas em mar de dentro e mar de fora, é fácil coordenar a infinidade de atrativos e atividades. 

Para entender como Noronha, descoberta em 1503, continua tão preservada, é simples.  Até 1982 o lugar funcionou ora como presídio, ora como área militar. Somente nos anos 90 a ilha foi aberta ao turismo, e mesmo assim, com muitas restrições, uma vez que foi transformada em Parque Nacional Marinho e tombada pela Unesco como Patrimônio Mundial Natural.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1
shutterstock_795649972-e1550390882768.jp
GASTRONOMIA 2020.png

GASTRONOMIA

Foi-se o tempo em que, em Noronha, as refeições eram feitas apenas nas pousadas/pensões. Hoje, bons restaurantes se espalham pela ilha e, mesmo com limitação de ingredientes e dificuldades logísticas, a boa mesa marca presença. Não deixe de experimentar o peixe assado na folha de bananeira, um dos pratos típicos noronhenses.

 

Por quase todas as vilas (dos Remédios, Trinta, Boldró e Florestas Nova e Velha) tem frutos do mar, massa, comida japonesa... e restaurantes self-service para salvar o bolso. Alguns estabelecimentos oferecem transfer para a pousada ou aeroporto. 

 
  • ICON 5
  • ICON 4
  • ICON 2
  • ICON 3
 
 
ThinkstockPhotos-179602867.jpg

FILME

Disponível em nosso

canal do youtube

FILME 2020.png
INFORMAÇÕES 2020.png

INFORMAÇÕES

Em Fernando de Noronha  tem trilhas para caminhada e bike, surf, passeios de barco e de bugue, observação de golfinhos, ... mas o que não pode ficar de fora do roteiro de jeito nenhum é o mergulho de cilindo, afinal, estamos falando de um dos melhores lugares do mundo para a prática do esporte.

Para quem não encarar a descida nem mesmo em um batismo – mergulho acompanhado por instrutor a 15 metros de profundidade em média –, basta uma máscara e um snorkel para se divertir e se encantar com as belezas escondidas nas piscinas naturais do Atalaia, que vão muito além dos peixinhos e dos corais coloridos – tartarugas, arraias e pequenos tubarões dão o ar da graça e nadam lado a lado com os visitantes. O surfistas também fazem a festa em Noronha. De dezembro a março, as praias da ilha - em especial a da Cacimba do Padre - ganham ondas perfeitas que variam de dois a cinco metros.